18 marzo 2013 ore 09:13 ALMIR GUINETO CAXAMBU’

 

 

Olha vamos na dança do Caxambu
Saravá, jongo, saravá
Engoma, meu filho que eu quero ver
Você rodar até o amanhecer
Engoma, meu filho que eu quero ver
Você rodar até o amanhecer

O tambor tá batendo é pra valer
É na palma da mão que eu quero ver
O tambor tá batendo é pra valer
E na palma da mão que eu quero ver

Dona Celestina me da água pra beber
Se você não me der água vou falar mal de você
Deu meia noite. o galo já cantou
Na igreja bate o sino é na dança do jogo que eu vou
Deu meia noite. o galo já cantou
Na igreja bate o sino é na dança do jogo que eu vou

Carreiro novo que não sabe carrear
O carro tomba e o boi fica no lugar
Carreiro novo que não sabe carrear
O carro tomba e o boi fica no lugar

Quem nunca viu vem ver caldeirão sem fundo ferver
Quem nunca viu vem ver caldeirão sem fundo ferver

O tambor tá batendo é pra valer
É na palma da mão que eu quero ver

Condividi
Questa voce è stata pubblicata in GENERALE. Contrassegna il permalink.

Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato.